Portal ENSP - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca Portal FIOCRUZ - Fundação Oswaldo Cruz
Início / Palavras Chave / COVID-19

COVID-19

04/04/2022

This is a continuation of our page on Globally Reported Tobacco Industry Interference during COVID-19 Pandemic and summarises the incidents reported during the month of January 2022. This page will be continuously updated as and when incidents related to the respective month are reported.

Fonte: https://tobaccounmaskedsouth.asia/Globally_Reported_Tobacco_Industry_Interference_during_COVID-19_Pandemic_%E2%80%93_January_2022

 

03/09/2021

Centenas de vidas perdidas diariamente, graves danos econômicos e fortes impactos na saúde pública. Ainda que ao ler tais frases o primeiro pensamento possa remeter à pandemia do novo coronavírus, elas também retratam cirurgicamente o rastro de destruição da indústria do cigarro no Brasil.

Fonte: https://www.cartacapital.com.br/blogs/o-joio-e-o-trigo/sim-a-industria-do-cigarro-ainda-arrebenta-a-saude-publica-e-nao-quer-pagar-por-isso/?utm_campaign=duplicado_de_novo_layout_newsletter_-_0309_-_duplicado&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

 

31/08/2021

It is not uncommon to find companies that adopt voluntary rules to eliminate or reduce the regulation of government agencies and, therefore, circumvent control measures. The tobacco industry has taken this path, as a way of privileging its agenda. Furthermore, it has used strategies to create a respectable image, as a company interested in the common good, all over the world2. Communication and marketing specialists are hired to reshape the company's image, without necessarily making any objective changes to the company's internal policy.

Referência

TURCI, Silvana    Rubano    Barretto; SILVA, Vera    Luiza    da    Costa    e; HALSSEMAN, Luiz    Guilherme; KORNALEWSKI,  Alex    Medeiros; BARATA, Danielle. Responsabilidade social corporativa (RSC) e a indústria de tabaco em tempos de Covid 19. Cetab/Ensp/Fiocruz, Rio de Janeiro, 1 set. 2021. 

 

31/08/2021

Não é incomum encontrar empresas que adotam normas voluntárias para eliminar ou reduzir a regulação de órgãos governamentais e, com isso, driblar medidas de controle. A indústria do tabaco tem percorrido esse caminho, como uma maneira de privilegiar sua agenda. Além disto, tem usado estratégias para criar uma imagem respeitável, de empresa interessada no bem comum, no mundo todo2. Especialistas em comunicação e marketing são contratados para reformular a imagem das empresas, sem que ocorra, necessariamente, mudanças objetivas na política interna da empresa.

Referência

TURCI, Silvana    Rubano    Barretto; SILVA, Vera    Luiza    da    Costa    e; HALSSEMAN, Luiz    Guilherme; KORNALEWSKI,  Alex    Medeiros; BARATA, Danielle. Responsabilidade social corporativa (RSC) e a indústria de tabaco em tempos de Covid 19. Cetab/Ensp/Fiocruz, Rio de Janeiro, 1 set. 2021. 

 

15/07/2021

A retomada das sessões está sendo acompanhada de medidas de prevenção contra a Covid-19. No evento, foi lançada a edição da Revista Traços no estado.
A Traços RJ é uma realização da Blém! Estúdio de Criação, da Associação Traços de Comunicação e Cultura e Fora da Caixa. Com patrocínio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, por meio da Lei Estadual de Incentivo e pela BAT Brasil

Fonte: https://www.sopacultural.com/noticias/cinecarioca-meier-no-imperator-reabre-as-portas-ao-publico/

 

11/05/2021

Introdução: Estudos têm mostrado resultados conflitantes em relação ao efeito do tabagismo no desfecho de pacientes com doença coronavírus em 2019 (COVID-19). Nesta meta-análise, examinamos sistematicamente a associação entre tabagismo e mortalidade em COVID-19.

Método:  O banco de dados PubMed foi pesquisado em busca de artigos relevantes. Os critérios de inclusão foram os seguintes: (1) estudos de coorte ou estudos de série de casos; (2) a população do estudo incluiu indivíduos com infecção confirmada por COVID-19; (3) o status de tabagismo foi relatado, independentemente se era atual ou no passado; e (4) a mortalidade entre fumantes foi relatada no estudo ou poderia ser calculada e comparada com não fumantes. As taxas de mortalidade foram combinadas usando um modelo de efeitos aleatórios. A razão de risco (RR) e seu intervalo de confiança (IC) de 95% também foram calculados usando o mesmo modelo. Outra meta-análise foi realizada para avaliar a diferença na mortalidade entre fumantes e ex-fumantes.

Resultados : Dez estudos com um total de 11.189 pacientes foram incluídos. A mortalidade entre os fumantes foi de 29,4% em comparação com 17,0% entre os não fumantes. RR foi 2,07 (IC 95%: 1,59, 2,69). Com base na análise de quatro estudos (532 pacientes), não houve diferença no risco de mortalidade entre fumantes atuais e ex-fumantes (RR: 1,03; IC de 95%: 0,75, 1,40).

Conclusões: O tabagismo, atual ou passado, está associado a maior mortalidade em pacientes com COVID-19. A mortalidade entre os fumantes atuais foi cerca de 50% maior do que os ex-fumantes, mas a diferença não foi estatisticamente significativa.

Fonte: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/33173643/

 

27/04/2021

Um dos setores mais importantes da economia de Santa Cruz do Sul, a indústria fumageira nunca chegou a interromper suas atividades em função da pandemia, mas teve de transformar drasticamente a rotina de trabalho para adaptar-se aos protocolos de distanciamento e higiene exigidos pelo Poder Público. A Gazeta do Sul conversou com quatro das principais empresas do ramo e foi conhecer uma das usinas de processamento de tabaco para ver de perto como essas mudanças funcionam na prática.

Referência

 

23/04/2021

A pandemia da Covid-19 não impediu que as sementes para o Programa Bolsa de Sementes fossem coletadas. As escolas parceiras do Projeto Verde é Vida, mantido pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), mesmo com o ensino remoto, incentivaram alunos, pais e professores para, adotando todas as medidas de segurança e preservação à saúde, coletarem as sementes. O resultado -  428,652 quilos de sementes nativas coletadas em 2020 -, foram divulgados hoje, 23 de abril, durante uma live transmitida pelo canal oficial do youtube da Afubra youtube.com/afubra66

Fonte: https://afubra.com.br/noticias/11535/bolsa-de-sementes-coleta-428-quilos-de-sementes-nativas-em-2020.html

 

17/04/2021

Reduzir preço para competir com o contrabando é quase um suicídio para o cigarro legal. É o que defende o economista da RC Consultores, Marcel Caparoz, que acompanha o setor desde 2019 e que em 2020 debruçou-se sobre o cenário atípico criado pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19).

Dados apurados durante o período de fechamento de fronteiras, para impedir a cirulação do vírus, apontam que o preço do cigarro ilegal subiu 17%, favorecendo o mercado formal. Além disso, houve crescimento de 13% do mercado legal o que aponta a substituição da oferta do produto contrabandeado.

Fonte: http://olajornal.com.br/cigarro-legal-nao-vai-ganhar-do-ilegal-em-guerra-de-preco-afirma-economista/

 

12/04/2021

Pesquisa realizada na Unoeste tem apoio da Fapesp e reforça a importância de programas especializados para tratamento do tabagismo

À frente da pesquisa: Bruna Medina, aluna da Fisioterapia, com a professora doutora Ana Paula Freire (Foto: Ector Gervasoni)

Será que a pandemia da Covid-19 alterou o perfil do consumidor de tabaco e derivados, como cigarrilhas, narguilé, entre outros? Esse é o questionamento da pesquisa realizada na Universidade do Oeste Paulista (Unoeste), envolvendo os cursos de Fisioterapia e Medicina dos campi de Presidente Prudente e Guarujá. Apesar de o tabagismo ser fator de risco para infecção e complicações da Covid-19, dentre os resultados do estudo estão: 44,26% reportaram aumento do consumo e a pandemia não foi um fator decisivo para os entrevistados abandonar o cigarro. Constatações que reforçam a importância de programas especializados para tratamento do tabagismo, assim como o já realizado na universidade.

Fonte: https://www.segs.com.br/educacao/284578-estudo-traz-dados-sobre-consumo-de-tabaco-na-pandemia#ath

 

Páginas