Portal ENSP - Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca Portal FIOCRUZ - Fundação Oswaldo Cruz
Início / Estrategias E Taticas / Táticas midiáticas

Táticas midiáticas

Relações Públicas

"Moldam a opinião pública, utilizando os meios de comunicação para promover posições favoráveis à indústria."1.

A indústria há muito tempo emprega a mídia para promover os seus próprios fins. Com a desconfiança do público em relação a suas mensagens, as indústrias fumageiras passaram a ''falar'' através de terceiros. Hoje sabemos que todas as empresas de tabaco ainda empregam assessores de imprensa, que escrevem e publicam ''releases'' a favor da indústria, organizam entrevistas coletivas e visitas a redações, fornecendo relatórios e dados para jornalistas, especificamente jornalistas da área econômica.

Seminários internos (''in house'')

Menos visíveis são os contatos da indústria com a mídia 'por debaixo dos panos'. Em março de 2000, o serviço internacional da BBC organizou um seminário sobre o hábito de fumar intitulado "Fumar ou não fumar", que ofereceu uma vitrine tanto para a indústria como para a comunidade de controle do tabaco (Action on Smoking and Health e OMS)2. A carta de agradecimento da BBC (assinada pelo gerente de projetos educacionais do serviço internacional da emissora, Robert Seatter)3 e endereçada ao assessor de imprensa da British American Tobacco (BAT) sugere que o evento foi um sucesso, pelo menos da perspectiva do networking da BAT: 

''Prezado Fran,''

''Um agradecimento oficial de minha parte e da equipe de produtores pela apresentação esclarecedora e proveitosa que você fez em nosso recente seminário sobre o fumo! Todos os participantes do seminário acharam o dia extremamente produtivo no sentido de expressar a complexidade e atratividade das questões abordadas, e isso irá, tenho certeza, se refletir em seu trabalho junto a emissoras de rádio e online. Tenho certeza de que iremos retomar o contato consigo em futuro próximo para informações e consultas adicionais.'' 

Matérias pagas

Uma maneira mais indireta de ''media advocacy'' inclui encomendar editoriais, colunas e artigos jornalísticos através da contratação de especialistas independentes, ou seja, a aplicação de Técnicas Envolvendo Terceiros ou convencer editores a escreverem tais materiais, assinando-os como autores.

"Turning Free Speech into Corporate Speech"4 é o título de um artigo sobre os esforços da Philip Morris para influenciar jornalistas norte-americanos e europeus, no que se refere ao relatório da Environmental Protection Agency (EPA), dos EUA, sobre fumo passivo. Pesquisas realizadas com os documentos da indústria fumageira revelam que a Philip Morris envidou esforços para obter cobertura favorável na imprensa através da empresa de Relações Públicas Burson.Marsteller na década de 1990, e até chegou ao ponto de patrocinar uma escola de jornalismo norte-americana. Além disso, jornalistas associados a institutos de pesquisa, que recebiam verbas da Philip Morris, escreveram inúmeros artigos criticando a atuação da EPA.

'Wining and Dining'

A tentativa de influenciar a política editorial algumas vezes inclui ''wining and dining'' _ empresas sob ataque aproveitam toda e qualquer oportunidade para construir ou manter boas relações com editores e donos de empresas de comunicação _ e políticos também _ através da oferta de amenidades gratuitas. No Brasil, entre os jornalistas, tais amenidades são conhecidas como 'boca livre'. 

Responsabilidade Social Corporativa

Grande parte da estratégia midiática da indústria fumageira diz respeito à gestão de sua reputação. A Responsabilidade Social Corporativa é de importância crescente quando se trata de garantir uma "licença para operar" _ a aceitabilidade da empresa e da indústria aos olhos do público. É importante criar uma imagem positiva, mesmo que a indústria do fumo mate um em cada dois de seus usuários de longa data. Um bom exemplo de uma empresa usando filantropia para alavancar sua imagem pública é o programa de Bolsas da BAT para Jovens Afegãs.

O 'Estado-babá'

O objetivo de uma estratégia midiática é tanto focar-se em formuladores de políticas e no público em geral, visando influenciar o debate público, bem como deslocar o foco dos debates  envolvendo fumo e saúde para questões mais sedutoras. Esta visão popular _ e quase populista _ tenta enquadrar o controle do tabaco como uma inteferência governamental desnecessária, ou 'Estado-babá', como uma ameaça à liberdade do consumidor e aos direitos individuais. 

O jornal ''Financial Times'' apud (TOBACCO TACTICS, 2012) afirma, por exemplo, que a BAT atacou as propostas de embalagem genérica feitas pelo governo britânico, ao sugerir que tinha aliados no movimento libertário. Michael Prideaux (em inglês), Diretor de Comunicações da BAT, disse: "Eu acho que o argumento libertário repercute entre as pessoas que normalmente não ligam para o que a indústria fumageira diz"5

Além disso, a 'captura' do termo "discriminação" por parte da indústria e seus defensores é uma forma de tentar reconfigurar o debate de modo a que a indústria, os varejistas e os fumantes sejam retratadas como pobres vítimas da 'excessiva regulamentação' e da 'intromissão' do governo no campo das liberdades individuais.

Táticas midiáticas: algumas motivações políticas

A tática de veicular anúncios em mídias específicas costuma disseminar um discurso que tem por objetivo manifestar desaprovação sobre determinado conteúdo editorial ou para forçar a publicação de certos relatórios além de fomentar uma visibilidade positiva da indústria fumageira. Em exemplo, podemos citar o lançamento da Antologia da Revista Souza Cruz, que constrói uma imagem positiva da indústria além de mencionar a colaboração de pessoas famosas, como Manuel Bandeira, Lima Barreto, Cecília Meireles e Di Cavalcanti6.

A este respeito, ver também:

* Tática RSC
* Táticas publicitárias e marketing
* Táticas online
* Táticas educativas

07/01/2022

Helton Lucas, radialista e consultor musical, comenta sobre a adoção de comportamentos de risco por artistas

Recentemente, o Brasil levou um susto quando um dos maiores ídolos da música sertaneja atual, o cantor Zé Neto, teve que se afastar dos palcos por conta de uma condição pulmonar conhecida como “vidro fosco”. A lesão nos pulmões, que causa falta de ar, é relacionada a utilização dos ‘vapes’ ou ‘cigarros eletrônicos’ que tem sido uma grande febre entre os jovens, mesmo após ter tido a propaganda e a comercialização proibidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Fonte: https://www.segs.com.br/demais/327102-uso-de-cigarros-eletronicos-evidencia-busca-pela-fama-e-prejudica-saude-e-carreiras-diz-consultor-musical#ath

 

21/12/2021

O Índice Global sobre a Interferência da Indústria do Tabaco (TII Índice) é uma pesquisa mundial sobre como as políticas públicas estão protegidas dos esforços subversivos da indústria do tabaco e como os governos têm se protegido contra tal influência. O TII Índice originou-se de um relatório da Aliança de Controle do Tabaco do Sudeste Asiático (Seatca) com apoio da iniciativa Stopping Tobacco Organizations and Products (STOP), cujo significado em português é “Pare as Organizações e Produtos de Tabaco”, da Filantropia Bloomberg, e é parte da publicação do Centro Global para Boa Governança em Controle do Tabaco (GGTC) da Escola para Estudos Globais na Universidade de Thammasat, na Tailândia.

Referência

ÍNDICE da interferência da indústria do tabaco. ACT Promoção para Saúde, Rio de Janeiro, 9 dez. 2021. 85p.

 

14/12/2021

Para encerrar o ano de 2021, o Observatório para o Monitoramento das Estratégias da Indústria do Tabaco do Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde da Fiocruz selecionou 10 estratégias de interferência da indústria do tabaco sobre as políticas publicas no Brasil que geraram mais notícias na mídia. Da mesma forma, elencamos as “TOP 10” iniciativas promovidas pelos profissionais envolvidos no controle do tabagismo para expor a agenda da indústria do tabaco e a relevância do cumprimento do artigo 5.3 .

Referência

TOP 10 estratégias da Indústria do Tabaco no Brasil em 2021 / TOP 10 iniciativas para promover o controle do tabaco no Brasil em 2021. Cetab/Ensp/Fiocruz, Rio de Janeiro, 14 dez. 2021. 9p.

 

09/11/2021

A Prefeitura de Santa Cruz do Sul e a Philip Morris patrocionaram o chamado Festival dos Festivais.

Referência

CARAMEZ, João Cleber. O que você precisa saber sobre o Festival dos Festivais, que começa neste sábado. Gaz, Rio Grande do Sul, 9 nov. 2021, Disponível em: https://www.gaz.com.br/o-que-voce-precisa-saber-sobre-o-festival-dos-fes.... Acesso em: 14 ago. 2023.

 

24/10/2021

O Centro de Apoio ao Tabagista - CAT editou a matéria do canal CNN Brasil (19/10/2021), em que, mais uma vez, tenta-se desmistificar o marketing da Indústria da Nicotina, que após enganar a população planetária com os 'filtros', nas décadas de 40 e 50, os cigarros ditos de 'baixos teores', nas de 70 e 80, frente à fantástica redução do consumo de cigarros desta década atual, lança com desespero e histeria, travestidos de boa intenção, os dispositivos eletrônicos para fumar (DEFs).

MOSTRAR MENOS

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=_HGSTsvVETs

 

27/09/2021

SALVE RAPAZIADA MAIS UM VIDEO DE VAPER PRA VOCÊS! DEPOIS DE 1 SEMANA DE USO TRAZEMOS NOSSAS HUMILDES OPINIÃO SOBRE O PRODUTO VAPORESSO VAPER SKY SOLO PLUS! ESPERO QUE GOSTEM.

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=JC_O3DFNWqU

 

27/09/2021

 

Hoje vamos ver o Mod mais diferenciado que existe! Redes Sociais da Smoke Vapor: instagram.com/smokevapor_ facebook.com/smokevapor

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=p77Wm7RrxU8

 

04/09/2021

O vereador André Kaufmann (PTB) anunciou, nesta semana, que vai fortalecer, na Câmara de Vereadores, a discussão sobre a defesa da produção do tabaco. O objetivo é apoiar Venâncio Aires e demais municípios produtores de tabaco, especialmente neste ano, quando ocorre a 9ª edição da Conferências das Partes da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco. O evento sempre mobiliza e preocupa toda a cadeia produtiva do tabaco, em função de medidas que podem impactar o setor.

Referência
Fonte: https://folhadomate.com/opiniao/colunistas/mateando/estreia-de-nova-coluna-na-folha/

 

03/09/2021

Centenas de vidas perdidas diariamente, graves danos econômicos e fortes impactos na saúde pública. Ainda que ao ler tais frases o primeiro pensamento possa remeter à pandemia do novo coronavírus, elas também retratam cirurgicamente o rastro de destruição da indústria do cigarro no Brasil.

Fonte: https://www.cartacapital.com.br/blogs/o-joio-e-o-trigo/sim-a-industria-do-cigarro-ainda-arrebenta-a-saude-publica-e-nao-quer-pagar-por-isso/?utm_campaign=duplicado_de_novo_layout_newsletter_-_0309_-_duplicado&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

 

Páginas